fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Agora no Vale 728x90px Programa Fazer Juntos

Pequenos negócios são destaque na geração de emprego no RS com saldo positivo em 2023


Por Redação / Agora no Vale Publicado 18/03/2024
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Aniversário-28-anosDESK

No contexto de recuperação econômica do Rio Grande do Sul, os pequenos negócios emergiram como protagonistas na geração de empregos formais em 2023. Um estudo recente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) revelou que, no ano passado, micro e pequenas empresas (MPEs) foram responsáveis pela criação de 50,9 mil novas vagas com carteira assinada no estado. Esse número não só demonstra a vitalidade desse segmento como também supera o total de empregos gerados considerando todos os tamanhos de negócios no Rio Grande do Sul.

O saldo de vagas abertas é particularmente significativo quando se observa que ele é positivo mesmo frente aos 6.880 postos de trabalho fechados por médias e grandes empresas (MGEs) no mesmo período. Analistas apontam que as MPEs tendem a se ajustar com mais agilidade às flutuações econômicas, uma característica que foi decisiva em um ano de recuperação econômica.

Este dado robusto das MPEs, que registra o maior saldo de geração de emprego entre os cinco ramos pesquisados, indica uma tendência que, embora histórica, não é comum quando observados os dados acumulados dos últimos anos. O diretor-superintendente interino do Sebrae-RS, Ariel Berti, atribui esse sucesso ao dinamismo e capacidade de adaptação das micro e pequenas empresas às condições de mercado e demanda econômica.

De acordo com o levantamento, em 2023, o Rio Grande do Sul gerou um total de 47.395 postos de trabalho com carteira assinada, segundo o Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Este número, por si só, é elevado, mas quando se soma as vagas criadas por MPEs e outros segmentos como CPF, entidades sem fins lucrativos e administração pública, e subtrai-se as perdas nas MGEs, o resultado é ainda mais expressivo.

No âmbito setorial, o ramo de serviços liderou a criação de empregos nas MPEs, seguido por comércio e construção. O destaque, no entanto, vai para o segmento de hiper e supermercados sob a categoria de varejo, que se mostra altamente sensível à capacidade de consumo da população.

A OnzeOnze Center, uma empresa localizada em Pelotas, é um exemplo desse crescimento, tendo aumentado sua equipe em resposta ao crescimento de mais de 35% no supermercado.

Para os meses futuros, espera-se uma desaceleração na criação de vagas pelas MPEs, um movimento natural após os picos de geração de empregos observados na fase pós-pandemia. Ainda assim, especialistas como o professor Maurício Weiss da UFRGS e o diretor do Sebrae-RS permanecem otimistas quanto ao potencial de crescimento para MPEs e MGEs em 2024, projetando um cenário econômico favorável no país.

Esta notícia reflete a resiliência e a importância dos pequenos negócios na economia do Rio Grande do Sul e serve como um indicativo positivo para as perspectivas de emprego e desenvolvimento econômico da região para o ano corrente.