fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Agora no Vale 728x90px Programa Fazer Juntos

Professores do Colégio Castelinho também emitem nota oficial sobre incidente envolvendo alunos na Univates

Briga que viralizou nas redes sociais ocorreu em espaço cedido pela universidade ao colégio estadual para a realização das aulas


Por Redação Publicado 02/04/2024
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Aniversário-28-anosDESK
WhatsApp Image 2024-04-01 at 19.43.02

Depois da Univates, através de comunicado oficial emitido ainda ontem (01), nesta terça-feira (02) foi a vez do Colégio Estadual de Ensino Médio Presidente Castelo Branco (Castelinho), de Lajeado, mas precisamente através de seus professores, emitirem uma nota oficial sobre o incidente envolvendo alunos da escola na manhã de ontem. O caso, ocorrido em espaço cedido pelo universidade ao colégio para a realização das aulas enquanto seu prédio passa por reforma pós enchente, teve grande repercussão e viralizou na internet a partir da divulgação de um vídeo da briga entre dois alunos.

A nota diz que os docentes repudiam qualquer tipo de violência. E afirma:

Nossa prática docente tem sido de pleno cuidado pelos nossos alunos. Sendo a escola uma instituição pública, tem por missão oferecer aos nossos estudantes a condição de pertencimento social, a percepção de sua condição cidadã. Na manhã desta segunda-feira, 01/04/2024 as atividades escolares ocorriam dentro da normalidade até o horário de intervalo (recreio). Neste momento, aproveitando-se de que a universidade é um espaço aberto/universal, um jovem estranho à escola ingressou em uma das salas, munido de uma arma branca (soqueira) e iniciou uma agressão verbal seguida de ameaça contra um de nossos estudantes. Neste momento, sentindo-se ameaçado, nosso estudante toma a atitude em sua defesa. Assim que tomamos conhecimento do fato, imediatamente tomamos as providências que julgamos necessárias. E, compreendemos que o assunto estaria resolvido, entretanto por estarmos vivendo em um tempo em que as pessoas estão diretamente conectadas através das redes sociais, o episódio foi gravado e compartilhado sem a devida narrativa sobre o ocorrido.

Lamentamos que muitas pessoas e instituições tenham tomado uma versão parcial como verdade absoluta, compartilhando, noticiando sem o devido cuidado com a verdade dos fatos. É sabido de todos que estamos em um tempo de muitas individualidades e competitividade e falta de empatia.

Enxergamos este fato como um episódio que infelizmente está naturalizado, ou seja, as pessoas se agredindo mutuamente nos mais diversos espaços públicos e privados. São constantes as notícias de situação de violência veiculadas nas redes sociais e veículos de imprensa.

Trabalhamos em prol da construção de uma sociedade mais harmônica em que todas as pessoas se sintam pertencentes e vivenciem situações de dignidade social. A educação é uma importante ferramenta neste propósito, entretanto a escola sozinha não pode ser responsabilizada por situações que têm origem na fragilidade das relações sociais”, e encerra a nota.

A Univates chegou a pensar em uma suspensão do acordo, mas reiterou que se siga o mesmo, desde que ações visando maior segurança sejam tomadas.