fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Agora no Vale 728x90px Programa Fazer Juntos

Lula anuncia R$ 344,6 milhões investimentos na reconstrução de municípios atingidos pela cheia


Por Redação / Agora no Vale Publicado 15/03/2024
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Aniversário-28-anosDESK
Lula lajeado agora no vale

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou na tarde desta sexta-feira, em Lajeado, a destinação de R$ 344,6 milhões para a recuperação dos municípios atingidos pela cheia trágica de setembro de 2023. O anúncio ocorreu no Teatro da Univates, e reuniu ministros, governador e prefeitos.

O dinheiro será voltado para a infraestrutura urbana e a construção de 857 residências do programa Minha Casa, Minha Vida Calamidades. Lula disse que veio por solidariedade à região devido às perdas, e revelou que sabe como é o drama de ver água entrando na casa e levando os móveis, pois já passou por isso. “Quero que vocês saibam, e prefeitos que vieram aqui, nós nunca vamos perguntar de que partido ou religião vocês (…) A nossa obrigação é devolver a vocês o que mais amam e o que construíram”.

Lula viajou acompanhado de ministros: Rui Costa (Casa Civil), Geraldo Alckmin (Desenvolvimento, Indústria e Comércio), Camilo Santana (Educação), Nísia Trindade (Saúde), Waldez Góes (Integração e Desenvolvimento Regional), Carlos Fávaro (Agricultura), Paulo Teixeira (Desenvolvimento Agrário) e Paulo Pimenta (Secretaria de Comunicação).

Ao custo de R$ 209 milhões, os imóveis serão construídos em 13 municípios: Muçum, Roca Sales, Estrela, Arroio do Meio, Cruzeiro do Sul, Venâncio Aires, Colinas, Santa Teresa, Novo Hamburgo, Eldorado do Sul, Montenegro, Pelotas e Rio Grande. Já as obras de infraestrutura, orçadas em R$ 135 milhões, serão concentradas em 12 municípios, a maioria no Vale do Taquari, região mais afetada pelos desastres climáticos. Parte do dinheiro anunciado é voltado para a habitação, e outro montante para infraestrutura. Veja abaixo quanto alguns dos municípios receberão.

Destinação de recursos para municípios atingidos pela cheia histórica

R$ 55,3 milhões – 135 casas em Arroio do Meio
R$ 5,9 milhões para casas e pontes
R$ 2,210 milhões em Colinas
R$ 6,5 milhões em Cruzeiro do Sul
R$ 8,640 milhões em Eldorado
R$ 1.630 milhão em Encantado
R$ 13 milhões em Estrela
R$ 8 milhões em Lajeado
R$ 29,760 milhões em Muçum
R$ 6,5 milhões em Roca Sales
R$ 1,650 milhão em Santa Tereza
R$ 24,510 milhões em São Valentim do Sul
R$ 2,260 milhões em Taquari
R$ 3,9 milhões em Venâncio Aires
R$ 2,460 milhões em Cândido Godói
R$ 146 mil em Feliz
R$ 12 milhões em Montenegro

enchente-lula-lajeado-agora-no-vale

Anúncios em Porto Alegre

Durante uma prestação de contas do Governo Federal de investimentos no Rio Grande do Sul, o ministro das Cidades, Jader Filho, descreveu as construções e retomadas de obras realizadas pela pasta no estado durante a gestão do presidente Lula. Na manhã desta sexta-feira (15), em Porto Alegre (RS), o presidente da República e uma comitiva de ministros anunciaram novos investimentos na ordem de R$ 29,5 bilhões para o estado gaúcho. Os titulares de ministérios como: Saúde, Educação, Desenvolvimento Regional e das Cidades, detalharam o que já foi feito e o que ainda virá para o estado nos próximos anos.

O ministro das Cidades, Jader Filho, destacou os números no estado do maior programa de habitação social do governo, o Minha Casa, Minha Vida. “Desde 2009, o programa Minha Casa Minha Vida, aqui no Rio Grande do Sul, já somou 78.757 famílias atendidas pelo programa. Essas famílias conseguiram realizar o sonho da casa própria já no ano passado”, disse Jader Filho que ainda comentou sobre o futuro do MCMV na região: “retomamos aqui no Rio Grande do Sul, 883 unidades habitacionais em cinco empreendimentos. Em 2024, mais 813 serão retomadas em mais 15 empreendimentos”.

“Em cada um dos lugares que sofreram com os problemas climáticos nós estivemos, por determinação do presidente Lula, para atender ao povo brasileiro. E nós não pararemos nem um dia sequer para poder ajudar aquelas pessoas que mais precisam”, disse o ministro das Cidades, Jader Filho, sobre o atendimento da pasta para pessoas que foram afetadas pelas chuvas no Rio Grande do Sul. O Minha Casa, Minha Vida Calamidades destinou mais de 1.800 novas unidades habitacionais para municípios afetados.

Sobre a prevenção de desastres, o ministro das Cidades lembrou que esta é uma preocupação prioritária do governo Lula e que a pasta vai destinar recursos para o setor. “Diante de todos os eventos climáticos que o mundo tem presenciado aqui, a questão da prevenção tem sido tratada como prioridade. Nos próximos dias nós faremos as novas seleções de prevenção, seja na contenção de encostas, seja na questão da drenagem”.

O saneamento dos municípios, outro setor importante que faz parte das atribuições do Ministério das Cidades, foi lembrado pelo ministro Jader Filho que falou sobre os investimentos do Novo PAC. “Uma meta que o presidente Lula nos tem dado, que é elevar o esgotamento sanitário. E isso será refletido na próxima seleção que nós vamos fazer, a do PAC. Mas nós temos aqui no Rio Grande do Sul 15 obras em andamento para ampliação do sistema de abastecimento sanitário nos municípios”.

Jader Filho ainda falou de um tema relevante para o atual governo que é a urbanização das favelas do país. O Ministério das Cidades tem se debruçado sobre o assunto e o ministro lembrou que o estado já conta com obras em andamento. “Aqui no Rio Grande do Sul nós retomamos oito obras em: Esteio, Pelotas, Porto Alegre, Rio Grande, Santa Maria e Santa Cruz do Sul. São obras que estão ativas agora e que vão atender 92.660 pessoas”.

O presidente Lula afirmou que a ação realizada em Porto Alegre (RS) é importante para informar sobre os gastos do governo em diversos setores. “Eu vim aqui para que cada pessoa saiba cada coisa que a gente está fazendo, cada centavo que a gente está colocando. Não é nenhum favor, não é nenhum benefício, é obrigação. Nós estamos devolvendo ao povo do Rio Grande do Sul um pouco daquilo que a gente arrecada do trabalho do povo do Rio Grande do Sul. E por isso, nós estamos determinados a sentar com os governadores, renegociar a dívida dos estados para que a gente conceda a todo mundo o direito de respirar”, concluiu.