fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Sicredi Agora no Vale 728x90px

Lajeado monitora 18 casos suspeitos de leptospirose após inundações


Por Redação / Agora no Vale Publicado 15/05/2024
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Institucional-WhatsappDESKTOP
Foto: 1º Sgt PIRES do CMS

O município de Lajeado está em alerta após as inundações do início de maio, que resultaram em 18 casos suspeitos de leptospirose sendo monitorados pela Vigilância Epidemiológica. Segundo Juliana Demarchi, Coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Lajeado, todos os pacientes estão recebendo tratamento adequado, com um paciente hospitalizado e os demais em acompanhamento ambulatorial.

“Todos os casos suspeitos já estão sendo tratados conforme o protocolo indicado para a leptospirose, enquanto aguardamos os resultados das amostras enviadas ao LACEM. A detecção rápida é essencial, pois a doença pode ser grave se não tratada a tempo,” afirmou Juliana Demarchi.

Sintomas e Prevenção

A leptospirose é uma doença bacteriana que pode ser contraída através do contato com água ou lama contaminadas. Os sintomas incluem febre, dor no corpo, mialgia e dor nas panturrilhas. Qualquer pessoa que tenha tido contato com água de enchente e apresente esses sintomas deve buscar atendimento médico imediato.

“É fundamental que os pacientes com quadro febril e dor no corpo procurem atendimento médico para avaliação. Em Lajeado, todas as unidades básicas de saúde estão operacionais, com exceção da unidade central, que foi afetada pela inundação. As equipes dessa unidade estão atendendo no Parque do Imigrante e na unidade básica do Moinhos,” explicou Demarchi.

Outras Doenças em Foco

Além da leptospirose, as autoridades de saúde de Lajeado estão vigilantes quanto a outras doenças que podem surgir após as inundações, como hepatite A, doenças diarreicas agudas, infecções respiratórias, acidentes com animais peçonhentos e tétano.

“Já registramos vários acidentes com animais peçonhentos, como aranhas e serpentes, deslocados de seus habitats naturais pelas águas. Acidentes com pregos e outros metais durante a limpeza das residências também aumentam o risco de tétano, por isso é vital manter o esquema vacinal em dia,” alertou Juliana.

Ações e Recomendações

A vacinação contra a gripe está disponível em todas as unidades básicas de saúde para prevenir infecções respiratórias, especialmente importantes para as pessoas em abrigos temporários. “A circulação de pessoas nos abrigos aumenta o risco de doenças respiratórias. Por isso, recomendamos fortemente a vacinação contra a influenza,” orientou a coordenadora.

As autoridades de saúde de Lajeado continuam monitorando a situação de perto e reforçam a importância de medidas preventivas e da busca imediata por atendimento médico em casos suspeitos.

Contato e Atendimento

Os moradores de Lajeado devem procurar as unidades básicas de saúde para vacinação e em caso de sintomas de leptospirose ou outras doenças relacionadas às inundações. Para situações urgentes, a UPA também está disponível.

Alertas para Outros Riscos

Após as enchentes, a população deve estar atenta a outros perigos:

  1. Animais Peçonhentos: Há relatos de acidentes com aranhas em Lajeado devido ao deslocamento desses animais pela água.
  2. Tétano: A possibilidade de ferimentos ao lidar com objetos e escombros é alta. É crucial manter a vacinação em dia e, em caso de ferimentos, buscar uma unidade de saúde.
  3. Doenças Diarreicas: O consumo de água e alimentos potencialmente contaminados deve ser evitado. Alimentos que entraram em contato com as águas da enchente devem ser descartados, com exceção de enlatados intactos que devem ser devidamente higienizados antes do consumo.
  4. Hepatite A: Também transmitida por alimentos e água contaminados, representa um risco após enchentes.

SINTOMAS DA LEPTOSPIROSE

A leptospirose é uma doença infecciosa causada pela bactéria Leptospira. Os sintomas podem variar desde formas leves até quadros mais graves. A seguir, listo os sintomas mais comuns da leptospirose:

  1. Sintomas iniciais (geralmente surgem de 2 a 30 dias após a exposição à bactéria):
    • Febre alta e súbita
    • Calafrios
    • Dor de cabeça intensa
    • Dor muscular, especialmente nas panturrilhas e costas
    • Dor nos olhos, que podem ficar avermelhados
    • Náuseas e vômitos
    • Fadiga
    • Perda de apetite
  2. Sintomas de formas mais graves da doença (ocorrem em alguns pacientes após a fase inicial):
    • Icterícia (amarelamento da pele e dos olhos)
    • Insuficiência renal (redução da produção de urina, inchaço)
    • Hemorragias (podendo surgir manchas roxas na pele, sangramento nasal ou gengival)
    • Alterações pulmonares, podendo evoluir para dificuldade respiratória e tosse com sangue
    • Meningite (inflamação das membranas que revestem o cérebro e a medula espinhal)