fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Sicredi Agora no Vale 728x90px

Aos 30 anos, advogada chega à Seleção de patinação


Por Redação / Agora no Vale Publicado 27/04/2019
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Institucional-WhatsappDESKTOP

A estrelense Jéssica Junqueira, 30, representa a Seleção Brasileira de Patinação, pela primeira vez, após 23 anos no esporte

A estrelense Jéssica Junqueira, 30, representa a Seleção Brasileira de Patinação, pela primeira vez, após 23 anos no esporte. Ela integrou um dos quatro mini-grupos de show sênior no Sul-Americano, em apresentação na última quarta-feira, dia 24. A competição que ocorre em Joinville até o dia 31 ainda conta com a participação de diversas outros atletas da região, integrantes da Academia de Patinação Arte e Movimento, de Lajeado.  

A convocação veio logo após o Campeonato Brasileiro, no final de março. Para cada competição internacional, existe uma nova convocação da Confederação Brasileira de Hoquei e Patinação – CBHP. “Nada impede que novas convocações surjam durante o ano”, relata Jéssica. Ela precisa conciliar a carreira na advocacia, a vida pessoal e os treinos para continuar a evoluir no esporte.

Entrevista

Agora no Vale – Quais eram seus objetivos na patinação quando você começou a praticar? 
Jéssica Junqueira – Eu comecei a patinar com 7 anos de idade, por uma indicação médica, para correção de um problema ortopédico. Lembro que eu me divertia bastante nas aulas e tinha certa facilidade, mas jamais pensava em competir. Eu sempre gostei de treinar, era determinada e disciplinada. Mas, no início, meu foco sempre foram os shows. Eu treinava para essas apresentações.

Agora no Vale – Quais foram os aprendizados nessa trajetória, e o que significa integrar a Seleção Brasileira agora, aos 30 anos? 
Jéssica – Muitos aprendizados! Eu sempre busquei me desafiar, mesmo quando não competia. Patinação, na sua essência, é um esporte individual. Nós somos o nosso primeiro adversário. Superar lesões, quedas e inseguranças faz parte do dia a dia do patinador. Eu comecei a competir tarde, mas, ainda assim, consegui evoluir bastante. Isso me possibilitou fazer parte do Grupo de Show Eternity, da Academia de Patinação Arte e Movimento de Lajeado. Competimos na classe internacional e conquistamos uma vaga na Seleção Brasileira para representar o Brasil no Campeonato Sul-Americano em Joinville/SC, na categoria de Mini-Grupo de Show Senior. Foi uma surpresa e uma sensação indescritível poder vestir o uniforme da Seleção Brasileira. Sempre amei patinar, mas jamais sonhei com isso. Com certeza, foi um dos momentos mais felizes da minha vida!

Agora no Vale – Como é possível manter o foco no esporte, carreia e vida pessoal ao mesmo tempo? 
Jéssica – É possível, mas não é fácil. Penso que é tudo uma questão de organização de prioridades. Tenho sociedade em um escritório de advocacia e o trabalho é minha prioridade”. A patinação é meu hobby e, ao mesmo tempo, minha “terapia”. Para conciliar, treino à noite e nos finais de semana. Meu namorado entende essa minha paixão e me apoia, inclusive me acompanha em viagens para campeonatos. Isso ajuda muito!  Amo essa minha rotina de trabalho, treinos e alimentação saudável. Acredito que isso facilite as coisas. Quando a gente ama o que faz, consegue dar um jeito de encaixar tudo. 

Agora no Vale – A partir de agora quais são os teus objetivos no esporte?
Jéssica – Sempre digo que vou continuar patinando enquanto meus joelhos aguentarem (risos). Amo esse esporte e não me imagino longe das pistas. Então, meu objetivo é continuar treinando. Além do mini-grupo, treino para as categorias livre individual e dupla mista, pelo Torneio Nacional. Teremos competição entre setembro e outubro e pretendo participar nessas duas modalidades. Com a minha dupla, Lucas Werle, fazemos shows em eventos e já temos algumas datas fechadas para o final do ano. Então, temos coreografias novas para ensaiar. Enfim, tem muito treino ainda para esse ano.
Por Leonardo Heisler redacao@agoranovale.com.br