fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Sicredi Agora no Vale 728x90px

A pé, população vai até caminhoneiros


Por Redação / Agora no Vale Publicado 26/05/2018
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Institucional-WhatsappDESKTOP

População se unirá aos caminhoneiros na tarde deste sábado. Um grupo sairá do Arenhardt em Estrela e outro do Parque dos Dick em Lajeado

Estrela é considerado hoje o maior ponto de bloqueio do Rio Grande do Sul. É o ponto em que mais caminhões estão paralisados, e também o local onde é vista a maior solidariedade, tanto dos manifestantes, quanto da população, que está se unindo a eles constantemente e levando mantimentos para que a greve siga o maior tempo possível.

Neste sábado, dia 26, à tarde dois grandes movimentos se unem ao ato na RSC 386. Um deles parte do Arenhardt, em Estrela, às 16h em direção ao Super Porto e outra parte, as 14h do Parque dos Dick, em Lajeado, também em direção ao Super Porto.

Os manifestantes são comerciantes, lojistas, mães, pais, em fim pessoas … gaúchos que apoiam o ato e vão a pé até a rodovia. Levarão com eles faixas, cartazes, alimentos, força e gritos de protesto.

E por mais que muitos agricultores tiveram perdas de seus frangos e do leite, eles também se unem ao movimento nesta tarde.


Combustível 
De momento no Vale do Taquari não há combustível a venda para a população.

Os postos do Arco (Lajeado) e Rosinha (na BR-386) estão com apenas uma bomba ativa, em cada, para uso de carros de emergência. E para isso houve escolta na noite de sexta-feira da polícia e tudo em comum acordo com os caminhoneiros.

Em um gesto de nobre, o comandante tenete coronel Luís Marcelo Gonçalves Maya da Brigada Militar de Lajeado foi até o movimento e conversou com os caminhoneiros. Explicou que a policias e ambulâncias não podiam ficar paradas. E os manifestantes em um ato, ainda mais consciente, prontamente aceitaram a decisão policial.

Agora os dois postos de combustiveis são vigiados tanto por representantes do movimento, quanto pela polícia para que seja cumprido o acordo.

Redação
redacao@agoranovale.com.br