fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Agora no Vale 728x90px Programa Fazer Juntos

Uruguaiana decreta situação de emergência após registrar 250 mm de chuva em dois dias


Por Redação / Agora no Vale Publicado 18/03/2024
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Aniversário-28-anosDESK
chuvas uruguaiana-agoranovale-lajeado

A Prefeitura de Uruguaiana, localizada na região da Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, declarou situação de emergência após ser assolada por uma precipitação pluviométrica histórica. Nos últimos dois dias, a cidade registrou um volume de 250 milímetros de chuva, um índice que supera em 20% a média esperada para o mês, conforme informações divulgadas pela Defesa Civil Municipal.

A população de Uruguaiana tem enfrentado severos desafios em razão das inundações. O sistema de córregos e drenagem urbana mostrou-se incapaz de gerir o volume excessivo de água, ocasionando alagamentos em numerosos pontos do município. Até o momento, a Defesa Civil confirmou que aproximadamente 550 residências sofreram perdas materiais, afetando especialmente famílias de baixa renda. Com o decreto de emergência já em vigor, as autoridades municipais se mobilizam para acessar recursos emergenciais destinados à reconstrução das áreas afetadas e ao socorro dos munícipes que tiveram suas casas e pertences danificados.

Enquanto Uruguaiana luta contra as adversidades das chuvas, a situação permanece preocupante, uma vez que há previsões de mais precipitações para os próximos dias.

Cenário semelhante em Alegrete, onde o rio Ibirapuitã subiu 60 centímetros acima da cota de inundação, impactando diretamente a vida de muitos moradores. Conforme a Defesa Civil local, onze pessoas encontram-se desalojadas e outras seis desabrigadas, tendo sido acomodadas provisoriamente no ginásio do Instituto Oswaldo Aranha. Os bairros mais afetados incluem Macedo, Vila Nova e Santo Antônio.

Ambos os municípios permanecem em estado de alerta e monitoramento constante. As autoridades continuam a trabalhar de forma incansável para garantir a segurança e o bem-estar dos afetados. A solidariedade regional torna-se, mais uma vez, essencial em face dos desafios impostos pelo clima.