fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Agora no Vale 728x90px

Como proteger as crianças dos perigos da Dengue: guia de uso seguro de repelentes


Por Redação / Agora no Vale Publicado 11/02/2024
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Aniversário-28-anosDESK
agora no vale Lajeado – noticias – vale do taquari -dengue – rio grande do sul
Foto: Ilustrativa/Freepik

A preocupação com a dengue, uma doença presente em mais de 90% dos municípios gaúchos, exige a adoção de múltiplas estratégias de prevenção. Além das medidas ambientais para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, o uso de repelentes surge como uma ação essencial na proteção individual, especialmente para as crianças, que possuem pele mais sensível e um sistema imune ainda em desenvolvimento. O retorno das crianças a escola também aumenta essa preocupação.

Uso de Repelentes em Crianças: O Que Você Precisa Saber

A aplicação de repelentes em crianças demanda cuidados especiais, considerando a absorção mais rápida de substâncias pela pele delicada e a imaturidade do sistema imunológico. Especialistas destacam que repelentes são seguros para uso em crianças a partir dos seis meses de idade. Em situações de alto risco de exposição a mosquitos, pode-se considerar o uso a partir dos dois meses, limitando-se a uma aplicação por dia.

Recomendações de Uso por Idade

  • Até três meses: O uso de repelentes não é recomendado. Prefira barreiras físicas como roupas de manga longa, mosquiteiros e telas em janelas.
  • De três a seis meses: Repelentes à base de Icaridina 10% são permitidos, sempre verificando a concentração no rótulo do produto.
  • De seis meses a dois anos: Indica-se Icaridina 20% em formulação infantil e IR3535.
  • Acima de dois anos: DEET, Icaridina e IR3535 estão liberados para uso.

Especialistas em pediatria e dermatologia enfatizam a importância de seguir as instruções de aplicação e a frequência de uso conforme a idade da criança, garantindo proteção efetiva contra o mosquito transmissor da dengue sem comprometer a saúde.

Dicas de Aplicação Segura

Para assegurar a eficácia do repelente e minimizar riscos, é crucial aplicar o produto corretamente:

  1. Protetor solar primeiro: Se necessário, aplique o protetor solar e aguarde 15 a 20 minutos antes de usar o repelente.
  2. Aplicação indireta: Aplique o repelente nas mãos do adulto e, em seguida, na criança, evitando contato direto com spray.
  3. Evite rosto e mãos: Não aplique próximo aos olhos, boca ou sobre pele irritada.
  4. Use nas roupas: Além da pele, repelentes podem ser aplicados em roupas e mosquiteiros para reforçar a proteção.

Riscos Associados ao Uso Incorreto

O uso inadequado de repelentes pode levar a efeitos adversos, incluindo irritações cutâneas, reações alérgicas e, em casos raros, alterações do sistema nervoso central, como tonturas e convulsões. A observância das recomendações dos especialistas é fundamental para evitar tais riscos, especialmente a importância de não exceder a frequência de aplicação indicada para cada faixa etária.

A proteção contra a dengue requer uma abordagem integrada, incluindo medidas ambientais e o uso criterioso de repelentes em crianças. Seguindo as orientações de especialistas, é possível garantir a segurança dos pequenos contra as picadas de mosquitos, sem expô-los a riscos desnecessários. A prevenção é a chave para um verão seguro e livre da dengue.


Fonte: MS