fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Agora No Vale – Banner Site Anuncie Conosco 728x90px
  • Banner Agora no Vale 728x90px

Polícia Fedral deflagra operação contra grupo que falsificava diplomas usando nome da UFRGS


Por Redação / Agora no Vale Publicado 28/06/2024
Ouvir: 00:00
  • Agora No Vale – Banner Site Anuncie Conosco 728x90px
operação engodo-agoranovale

Durante a ação, um dos investigados foi preso em flagrante por uso de documento falso e exercício irregular das profissões na sua própria clínica de estética.

A Polícia Federal deflagrou, nesta sexta-feira (28/06), a Operação Engodo, que tem como objetivo desarticular grupo criminoso que falsificava diplomas de mestrado e doutorado, utilizando indevidamente o nome da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Policiais federais cumpriram dois mandados de busca e apreensão na cidade de Porto Alegre, expedidos pela Justiça Federal. Durante a ação, um dos investigados foi preso em flagrante por uso de documento falso e exercício irregular de profissões, na sua própria clínica de estética, localizada no bairro Farroupilha, com o apoio dos Conselhos de Biomedicina e de Odontologia.

A investigação conseguiu identificar que, além dos diplomas falsificados em nome da UFRGS, o grupo vendia a promessa de revalidação de diplomas obtidos em instituições de ensino estrangeiras, por exemplo, Venezuela, Colômbia, Equador e Estados Unidos.

O grupo ainda cooptava pessoas, a maioria servidores públicos que desejavam obter o adicional de qualificação, cobrando o valor de, aproximadamente, R$7.000,00, e falsificavam os diplomas que eram apresentados perante os entes públicos municipais, estaduais e federal.

A PF estima que existam mais de dois mil diplomas falsos de mestrado, doutorado, pós, especialização e cursos em geral relacionados a este grupo criminoso.

Caso condenados, os investigados poderão responder, na medida das suas responsabilidades, pelos crimes de exercício ilegal da profissão, uso de documento falso e associação criminosa.

operacao-engodo-agoranovale-1