fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Agora no Vale 728x90px Programa Fazer Juntos

Polícia Federal investiga desvio de recursos públicos envolvendo empresas de Lajeado e Estrela


Por Redação / Agora no Vale Publicado 14/03/2024
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Aniversário-28-anosDESK

Mandados estão sendo cumpridos em três locais em Lajeado e um em Estrela

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira a Operação Rêmora, visando combater o desvio de recursos públicos, corrupção e irregularidades em licitações relacionadas à aquisição de equipamentos para escolas municipais. Cidades como Lajeado e Estrela estão entre os alvos da operação, que investiga a compra de 321 lousas interativas, totalizando aproximadamente 10 milhões de reais, pela Prefeitura de Cachoeirinha/RS.

Os mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), estão sendo cumpridos em diversos municípios do Rio Grande do Sul, incluindo Porto Alegre (1), Cachoeirinha (3), Lajeado (3), Guaporé (1) e Estrela (1). A operação é resultado de uma investigação iniciada em novembro de 2023, após relatos na imprensa e apontamentos em auditorias do Tribunal de Contas do Estado (TCE/RS).

As suspeitas recaem sobre a contratação de uma empresa, por meio de adesões a atas de Registro de Preço, para fornecer os equipamentos às escolas. A Polícia Federal identificou conexões entre esta operação e a Operação Conexão, da Polícia Civil, levando à execução coordenada de alguns mandados.

O nome “Rêmora” faz alusão ao fenômeno conhecido como “efeito carona” nas licitações, referindo-se ao peixe que se acopla a outros animais marinhos para se alimentar e se locomover.

A investigação busca esclarecer a extensão do esquema de desvio de verbas destinadas à educação e identificar todos os envolvidos. A operação reforça o compromisso das autoridades em garantir a correta aplicação dos recursos públicos e a integridade dos processos licitatórios.

WhatsApp-Image-2024-03-14-at-08.17.09