fbpx

19 de agosto de 2022

Mais de 30 pessoas estão envolvidas no esquema de crime organizado e lavagem de dinheiro na região, aponta policia


Por Reportagem Publicado 05/08/2022

Um núcleo de lavagem de dinheiro e organização criminosa foi descoberto no Vale do Taquari após 7 meses de investigação da Polícia Civil, com apoio do setor de Inteligência da Brigada Militar (BM) e do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC).

A operação S.A foi deflagrada na manhã desta sexta-feira, em Lajeado, Santa Clara do Sul, Estrela e Imigrante, e configura-se como a maior do tipo na história do Vale do Taquari. De acordo com delegado Márcio Moreno, o núcleo central tem 9 pessoas envolvidas, e a questão periférica tem cerca de 30 pessoas.

Algumas dessas pessoas, entre elas laranjas, têm vínculos empresariais em atividade formal, e se comprovada a participação podem perder os empreendimentos, além de demais bens. “Se um real desse patrimônio investido na economia formal é ilícito, todo o restante é inválido”, afirma Moreno.

De 2019 a 2022 o grupo movimentou cerca de R$ 4 milhões em transferências, incluindo o Pix superior a R$ 200 mil para compra de um BMW. A origem do dinheiro é de tráfico de drogas, roubo de casas e estabelecimentos, receptação de veículos e homicídios mercenários.

O delegado afirma que é surpreendente o valor dos bens apreendidos, que giram em torno de R$ 2,5 milhões. Foi feito formalmente o sequestro de 7 imóveis e nove veículos (entre sequestro e apreensão). De acordo com o delegado, a prioridade é a descapitalização do grupo, mas há uma pessoa presa por lavagem e mais duas que podem ser presas no decorrer, todas de Lajeado.

Os bens materiais apreendidos voltam para o Estado, serão vendidos, e após revertido para o bem social nos municípios onde ocorreram as apreensões. Antes disso, no entanto, será realizado um processo judicial, com amplo direito à defesa. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

As investigações seguem para nova etapa. O Brasil é o segundo país do mundo em termo de lavagem de dinheiros, segundo dados da ONU.

Saiba mais

A Operação Crime S.A teve a participação de 110 agentes e delegados e 10 agentes da Brigada Militar, e cumpre 68 ordens judiciais (27 mandados de busca e apreensão, 29 bloqueios de contas bancárias nos Estados do RS, SC, CE, RJ e SP, 5 sequestros de veículos e 7 sequestros de imóveis ).

.