fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Sicredi Agora no Vale 728x90px

Dentista é novamente solto no Caso Potrich


Por Redação / Agora no Vale Publicado 27/04/2019
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Institucional-WhatsappDESKTOP

Depois de dois dias, o principal suspeito da morte do gerente de Anta Gorda é solto novamente

O dentista acusado pela morte do gerente do Sicredi de Anta Gorda, Jacir Potrich, 55 anos, foi solto na madrugada deste sábado, dia 27, pela segunda vez, com habeas corpus. Ele estava preso desde a quinta-feira, quando a justiça decretou a prisão preventiva a pedido do Ministério Público, que foi cumprida pela Polícia Civil de Encantado.

A soltura foi protocolada pela defesa do suspeito. E a prisão de quinta, fruto de novo pedido protocolado pelo promotor de Justiça André Prediger na última segunda-feira com base no fato de que o réu vinha ameaçando e coagindo testemunhas do processo na cidade de Anta Gorda. 

O dentista chegou a ser preso temporariamente em janeiro deste ano, mas foi solto após o julgamento de um habeas corpus pelo Tribunal de Justiça do Estado. 

Conforme a denúncia do MP, elaborada com base nas investigações da Polícia Civil, no dia do desaparecimento, no condomínio onde ambos moravam, o ex-vizinho da vítima modificou o ângulo de uma das câmeras de vigilância e desligou outra para evitar que o local do crime, um quiosque, não registrasse o momento do assassinato. Assim, imagens que formam o conteúdo probatório do processo mostram a vítima indo até o quiosque e sendo seguida. Um minuto depois, apenas o denunciado é visto saindo do local. Essas são as últimas imagens de Potrich.

Assim, o dentista foi denunciado por homicídio triplamente qualificado – motivo torpe (a desavença existente entre os dois há anos em virtude da troca de endereço do banco no qual a vítima era gerente), por asfixia e com recurso que dificultou a defesa da vítima – além de ocultação de cadáver. Além do homicídio, ele também deverá responder por ocultação de cadáver.

Relembre o caso
Jacir Potrich sumiu após retornar de uma pescaria e ter limpado os peixes em um quiosque de uso comum do condomínio residencial em que residia na cidade no dia 13 de novembro.

Redação
redacao@agoranovale.com.br