fbpx

Companheira da mulher que matou o filho em Imbé não tem transtornos mentais, aponta laudo


Por Reportagem Publicado 15/09/2021

Ambas foram indiciadas

A madrasta do menino Miguel, morto pela própria mãe, em Imbé, não tinha problemas de saúde mental, aponta laudo divulgado nessa terça-feira, 14, pelo Instituto Psiquiátrico Forense (IPF). A mulher de 23 anos era plenamente capaz de entender o caráter dos atos que cometia na ocasião. Ela era companheira da mulher que confessou ter matado o menino, e aparece em imagens acompanhando ela no momento em que as duas, segundo depoimento, levaram o corpo do menino em uma mala para descartar no Rio Tramandaí.

O exame pericial solicitado pelo delegado responsável pelo caso, Antônio Carlos Ractz, descartou a possibilidade de algum transtorno de neurodesenvolvimento, transtorno de humor e psicóticos em atividade à época do ocorrido. Também foi observado que a mulher não é portadora de doença mental, perturbação da saúde mental e alterações no desenvolvimento mental. Ela e a mãe da criança foram indiciadas pleo crime hediondo.

As buscas pelo corpo do menino foram encerradas, e há o entendimento de que os restos mortais já estão longe da costa do RS.