fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Agora no Vale 728x90px Programa Fazer Juntos

Alunos brigam dentro de sala de aula em Lajeado


Por Redação / Agora no Vale Publicado 01/04/2024
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Institucional-WhatsappDESKTOP
WhatsApp Image 2024-04-01 at 13.39.14

Alunos de uma escola estadual protagonizaram uma briga dentro de sala de aula na Univates, em Lajeado na manhã desta segunda-feira, dia . Vídeo viralizou na internet, onde professora e colegas tiveram que aparta a briga. O caso levou a direção da escola a contatar a polícia comunitária para lidar com a situação. Nas últimas semanas mais casos de brigas foram registradas na escola.

A Polícia ressalta a importância de os pais abordarem o tema em casa, trabalhando na construção da resolução de problemas e diferenças com base no diálogo. É essencial o acompanhamento diário dos filhos, especialmente por se tratarem de menores de idade. Em casos de conflito, a recomendação é acionar imediatamente a Brigada Militar para o pronto atendimento e encaminhamento dos envolvidos ao plantão policial, pois se trata de ato infracional, no mínimo de vias de fato.

O Núcleo de Polícia Comunitária da Polícia Civil está à disposição para reforçar as ações e conversas com as turmas envolvidas, por meio do Programa Papo de Responsa, realizando um trabalho de prevenção e orientação. A questão do ato infracional cometido por adolescentes e suas implicações práticas na vida de cada um tem sido abordada com frequência.

Além do trabalho pedagógico da escola, que trabalhará junto com os adolescentes e pais aplicando as sanções pedagógicas cabíveis, o fato pode tomar outra proporção, cabendo registro de ocorrência. As sanções previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) variam desde uma simples advertência até a internação na FASE nos casos mais graves e de reincidência. Também pode haver decisão por reparação do dano causado em casos de danos materiais, o qual recai sobre os responsáveis.

É importante ressaltar que tais registros geram antecedentes policiais, os quais são sempre analisados quando da contratação para um contrato de trabalho ou estágio, por exemplo.