fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Agora no Vale 728x90px Programa Fazer Juntos

Guia sobre o Aconcágua: montanha mais alta das Américas é destino de aventura


Por Redação / Agora no Vale Publicado 13/03/2024
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Aniversário-28-anosDESK
portezuelo-del-viento aconcágua agoranovale-Lajeado

O Aconcágua, a montanha mais alta das Américas, é um desafio épico para montanhistas e amantes da aventura em todo o mundo. Com seus 6.959 metros de altura, esta majestosa montanha localizada na Argentina atrai escaladores de todos os níveis de experiência em busca de uma jornada inesquecível. Se você está planejando escalar o Aconcágua, desde caminhadas tranquilas até a tentativa de chegar ao cume, este guia completo fornecerá todas as informações necessárias para uma aventura segura e bem-sucedida.

O Aconcágua, localizado na Argentina, é a montanha mais alta das Américas e o pico mais alto fora da Ásia, com uma altura impressionante de 6.959 metros acima do nível do mar. Situado na região dos Andes, o Aconcágua atrai montanhistas de todo o mundo devido ao seu desafio físico e à beleza natural única que o rodeia.

O nome “Aconcágua” tem origem na língua indígena quéchua e significa “Sentinela de Pedra”. Esta montanha majestosa é composta por uma série de picos, com o Pico Sul, conhecido como “Cume Principal”, sendo o ponto mais alto. O Aconcágua está localizado na província de Mendoza, na Argentina, e faz parte do Parque Provincial Aconcágua, uma área protegida que oferece um ambiente selvagem e intocado para os visitantes explorarem.

A escalada do Aconcágua é uma jornada desafiadora e exigente, mesmo para os montanhistas mais experientes. A montanha apresenta condições climáticas severas, com temperaturas extremas, ventos fortes e mudanças climáticas rápidas e imprevisíveis. Além disso, a altitude elevada representa um desafio adicional, com o risco de doença aguda de montanha (AMS), edema pulmonar e cerebral de altitude (HAPE e HACE) sendo preocupações comuns para os escaladores.

Existem várias rotas para escalar o Aconcágua, cada uma com suas próprias características e desafios. A rota normal, também conhecida como rota de Horcones, é a mais frequentemente escolhida e oferece uma subida gradual com menos exigências técnicas. No entanto, outras rotas, como a rota dos Polacos e a rota do Glaciar dos Polacos, apresentam desafios técnicos adicionais e são mais adequadas para montanhistas experientes.

Além das rotas tradicionais, os montanhistas também podem optar por explorar rotas menos conhecidas, como a rota Portozuelo del Viento, que oferece uma abordagem alternativa para alcançar o cume. Esta rota menos percorrida oferece uma experiência mais isolada e desafiadora, com vistas deslumbrantes e uma sensação de aventura única.

Para aqueles que desejam escalar o Aconcágua, é importante estar bem preparado fisicamente e mentalmente, realizar uma aclimatação adequada, investir em equipamentos de alta qualidade e seguir todas as medidas de segurança recomendadas. A escalada do Aconcágua é uma jornada inesquecível que oferece aos montanhistas a oportunidade de testar seus limites, explorar paisagens espetaculares e criar memórias que durarão a vida toda.

1. Preparação e treinamento:

Antes de embarcar em qualquer expedição ao Aconcágua, é crucial estar bem preparado fisicamente e mentalmente. A aclimatação é fundamental para evitar problemas de altitude e aumentar suas chances de sucesso. Recomenda-se realizar treinamento físico adequado, incluindo caminhadas longas, corridas, escaladas em montanhas menores e treinamento de resistência. Além disso, é importante obter experiência prévia em montanhismo e ter habilidades básicas de navegação, orientação e sobrevivência.

2. Escolha da rota:

Existem várias rotas para escalar o Aconcágua, cada uma com suas próprias características e desafios. As rotas mais populares são a Rota Normal (também conhecida como Rota de Horcones), a Rota dos Polacos, a Rota do Glaciar dos Polacos e a Rota Portozuelo del Viento. A Rota Normal é a mais frequentemente escolhida pelos montanhistas e oferece uma subida gradual com menos exigências técnicas. No entanto, todas as rotas exigem uma boa aclimatação e preparação física.

3. Custos de viagem:

Os custos de uma expedição ao Aconcágua podem variar dependendo de vários fatores, como a duração da expedição, os serviços contratados, o equipamento necessário e os custos de viagem. Em média, os custos totais podem variar de US $800 a US $10.000 dólares mais para uma escalada completa até o cume. Para aqueles que desejam apenas chegar até o Acampamento Base Plaza de Mulas, os custos podem ser significativamente menores, variando de aproximadamente US $1.500 a US $3.000.

4. Acomodação e logística:

Durante a escalada, os escaladores podem optar por acampar em barracas próprias ou utilizar os serviços de refúgios e acampamentos comerciais ao longo das rotas. O Acampamento Base Plaza de Mulas é o ponto de partida mais comum e oferece serviços como alojamento, refeições, aluguel de equipamentos e assistência médica. No entanto, é importante reservar acomodações com antecedência, especialmente durante a alta temporada de escalada.

Além disso, as cidades próximas à montanha, como Mendoza e Los Penitentes, oferecem uma variedade de opções de acomodação, restaurantes, lojas de equipamentos e serviços de transporte para facilitar a logística da expedição.

5. Aluguel de equipamentos:

Para aqueles que não possuem equipamentos próprios, é possível alugar uma ampla variedade de equipamentos em Mendoza e outras cidades próximas. Empresas locais oferecem aluguel de botas, roupas de montanhismo, sacos de dormir, barracas e outros equipamentos essenciais a preços razoáveis. Certifique-se de verificar a qualidade e condição dos equipamentos antes de alugá-los.

6. Aclimatação e riscos:

A aclimatação adequada é essencial para reduzir os riscos associados à altitude. Recomenda-se um período de aclimatação de pelo menos duas semanas antes de tentar alcançar o cume. Durante esse período, é importante subir e descer em altitudes progressivamente mais elevadas para permitir que o corpo se adapte gradualmente à altitude. Os principais riscos durante a escalada incluem a doença aguda de montanha (AMS), edema pulmonar e cerebral de altitude (HAPE e HACE), hipotermia, quedas e avalanches. É fundamental estar preparado para lidar com esses riscos e seguir todas as medidas de segurança recomendadas.

7. Equipamento essencial:

O equipamento necessário para escalar o Aconcágua inclui botas de montanhismo, roupas adequadas para temperaturas extremas, saco de dormir, barraca, mochila técnica, capacete, arneses, crampons, piolet, cordas e equipamentos de segurança. É importante investir em equipamentos de alta qualidade e testá-los antes da expedição para garantir seu funcionamento adequado.