fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Agora no Vale 728x90px
  • Agora No Vale – Banner Site Anuncie Conosco 728x90px

Nome de campeão: os cinco Michaels que brilharam no esporte


Por Redação / Agora no Vale Publicado 26/10/2023
Ouvir: 00:00
  • Agora No Vale – Banner Site Anuncie Conosco 728x90px

Poucos nomes da história do esporte se repetiram tantas vezes entre os maiores vencedores de uma determinada competição ou modalidade. Coincidência ou não, quando um Michael entra em ação os holofotes costumam se virar com atenção, pois ali pode estar uma grande estrela mundial.

Seja no poker, no basquete, na Fórmula 1, na natação ou no atletismo, cinco verdadeiros campeões elevaram um simples nome a sinônimo de vitórias, domínio e recordes. Das mesas às pistas, os Michaels fizeram história e ficarão marcados para sempre na memória de todos os fãs.

Michael Mizrachi

Talvez menos falado pelo grande público do que seus xarás, o norte-americano é um dos grandes nomes do poker mundial. Aos 42 anos, Michael “The Grinder” Mizrachi ficou conhecido como o moedor por ser um grande competidor e vencer seus adversários com autoridade nas competições de Texas Hold’em, principal categoria do esporte da mente, tanto nas mesas físicas quanto nos eventos online.

O Jogador do Ano de 2010, eleito pela revista ALL IN, coleciona cinco braceletes de ouro da World Series of Poker e foi o primeiro tricampeão da história do “Players Championship”, torneio de maior prestígio entre os atletas profissionais e que compõe o circuito da WSOP. Vencedor em 2010, 2012 e 2018, Michael divide o recorde geral com o compatriota Brian Rast, que chegou ao terceiro título em 2023.

Michael Jordan

Hexacampeão da NBA com o Chicago Bulls, duas vezes medalhista olímpico de ouro pelos Estados Unidos, nos Jogos de Los Angeles-1984 e Barcelona-1992, e considerado por muitos o melhor jogador de basquete de todos os tempos. Michael Jordan sequer é o maior vencedor ou pontuador da liga norte-americana, a mais importante do planeta, mas seus feitos e habilidades demonstradas em quadra o tornam um ícone do esporte da bola laranja.

Em pouco mais de 15 anos de carreira, entre pausas e retornos, o ala-armador foi eleito cinco vezes o melhor jogador da temporada regular e foi o MVP de todas as seis decisões que disputou (e venceu). Possui impressionante média de 30,1 pontos por partida, disputou 13 edições do All-Star Game e faz parte do Hall da Fama da modalidade desde 2009.

Michael Schumacher

Para muitos, o melhor piloto de todos os tempos. Para alguns, um ótimo corredor que teria sido ofuscado por Ayrton Senna se não fosse o fatídico acidente do brasileiro no GP de Ímola de 1994. Seja como for, o alemão Michael Schumacher ficou marcado na Fórmula 1 por seus sete títulos mundiais, incontáveis recordes, atuações de gala e também algumas polêmicas, como as manobras controversas nas disputas pelos campeonatos de 1994 e 1997 contra Damon Hill e Jacques Villeneuve, respectivamente.

Apesar disso, os fãs do ex-companheiro de Rubens Barrichello e Felipe Massa na Ferrari têm muito mais a celebrar do que a lamentar da carreira do ídolo. Nas pistas, Schumacher colecionou 91 vitórias, 68 poles e 155 pódios em 306 largadas. Ele é até hoje o único piloto a ter terminado uma temporada inteira cruzando a linha de chegada entre os três primeiros colocados, 17 vezes em 2002.

Michael Phelps

Para variar, o maior campeão olímpico da história também se chama Michael. De sobrenome Phelps, o nadador norte-americano conquistou nada mais do que 28 medalhas em quatro Olimpíadas, sendo 23 de ouro, três de prata e duas de bronze. Mais impressionante ainda foi o feito de se tornar o maior vencedor de uma única edição dos Jogos, com oito primeiros lugares em Pequim-2008.

Em Campeonatos Mundiais, são mais 26 ouros, seis pratas e um bronze em provas de piscina longa. Ao longo de sua carreira, Phelps registrou cinco recordes mundiais em disputadas individuais e outros três em competições coletivas de revezamento.

Michael Johnson

Fechando o seleto clube dos Michaels, o velocista norte-americano é outro que fez histórias nas pistas. Primeiro e único homem a vencer as provas de 200 e 400 metros rasos numa mesma Olimpíada, em Atlanta-1996, Michael Johnson foi por muito tempo considerado o homem mais rápido do planeta. Alcunha essa que foi atribuída anos mais tarde ao jamaicano Usain Bolt, multicampeão olímpico e mundial.

Ainda nos Jogos de Atlanta, Johnson chocou o mundo ao utilizar nas duas finais um calçado inteiramente dourado, produzido pela Nike especialmente para o atleta. O fato lhe rendeu o apelido de “O Homem das Sapatilhas de Ouro”. Entre 1993 e 2000, ele emplacou uma incrível sequência invicta de 58 corridas nos 400m, sendo então aclamado como “Superman”.