fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Sicredi Agora no Vale 728x90px

Santa Catarina tem primeiro caso de morte por raiva humana em 38 anos


Por Redação / Agora no Vale Publicado 07/05/2019
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Institucional-WhatsappDESKTOP

Mulher que morava na área rural de Gravatal foi vítima da doença

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive-SC) confirmou nesta segunda-feira (6) a primeira morte por raiva humana no Estado em 38 anos. A vítima foi uma mulher que morava em Gravatal, no sul do Estado. Ela morava na área rural do município. 

De acordo com a Dive-SC, todos os cães e gatos que moravam num raio de 5 quilômetros da vítima devem ser vacinados contra a doença por precaução. A medida também atinge residências da cidade vizinha, Capivari de Baixo. 

Santa Catarinaé um dos locais considerados livres da raiva em localidades urbanas. Antes da morte da mulher, que aconteceu no dia 4 de maio deste ano, o último caso tinha sido registrado no município de Ponte Serrada, em 1981. Já as últimas mortes de animais com raiva foram registradas nos anos de 2006 e 2016. 

A vacinação contra a raiva é uma medida prevista pelo Ministério da Saúdepara evitar a proliferação da doença. Serão solicitadas 10 mil doses, que devem ser distribuídas a partir do dia 9 deste mês.

raiva pode atingir seres humanos e animais domésticos como cães, gatos, cavalos, bois e também os silvestres, tais como morcegos e macacos. A doença é transmitida pelo contato com a saliva dos animais infectados. Não há cura estabelecida. As vítimas, sejam pessoas ou animais, acabam morrendo.

O contágio pode acontecer tanto em casos de ataques que envolvam mordidas quanto lambidas. Sendo assim, quem sofrer algum tipo de situação que envolva ferimentos deve buscar se vacinar, em qualquer unidade de saúde.