fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Agora no Vale 728x90px
  • Agora No Vale – Banner Site Anuncie Conosco 728x90px

Governo estuda cobrar mensalidade dos mais ricos em universidades federais

Forma seria meio de arrecadar mis dinheiro para área que precisou receber cortes


Por Redação Publicado 09/07/2024
Ouvir: 00:00
  • Agora No Vale – Banner Site Anuncie Conosco 728x90px

A saga em busca de um equilíbrio nas contas do Governo Federal não para, ainda mais depois que foi necessário anunciar alguns cortes no orçamento, inclusive para a educação, para acalmar o mercado financeiro. Depois de Lula ter negado mudar o nível mínimo do investimento em educação no país, Haddad e sua equipe estão buscando outras medidas na área.

Dessa vez, a proposta que está na mesa é cobrar uma mensalidade de alunos ricos que estudam em universidades públicas.

O objetivo é trazer mais dinheiro para os cofres públicos na tentativa de fazer o governo fechar as contas no azul.

Ainda é incerto o quanto seria arrecadado com as mensalidades para alunos de classes sociais mais altas, uma vez que o preço dessa possível mensalidade ainda não foi definido pelo governo.

Gratuidade

Hoje, ninguém paga para estudar em instituições públicas. A ideia é que essa gratuidade fique apenas para os estudantes de baixa renda — mais de 70% dos alunos nas federais.

Quem é a favor diz que não é justo que todos os brasileiros, incluindo os mais pobres, arquem com o estudo dos mais ricos — através dos impostos.

Os contrários à medida dizem que ela é muito indefinida e que pode gerar segregação e piorar o ensino superior, reduzindo o investimento público nas instituições.

Pesquisa de opinião

1/3 dos brasileiros defende que as universidades públicas cobrem mensalidade de quem pode pagar, enquanto 64% defende a gratuidade para todos os cidadãos.

————————————————