Um esquema com movimentação de até R$ 12 milhões mensais com tráfico de drogas e de armas foi alvo da Operação Irmandade na manhã desta terça-feira, 20, em seis estados, incluindo o RS. Uma quadrilha do Vale dos Sinos integra essa facção, considerada a maior do país, que tem base em São Paulo e é comandada a partir dos presídios. O grupo ainda atua com lavagem de dinheiro.

Foram cumpridos 75 mandados de busca e apreensão e cinco mandados de prisão. Imóveis e carros de luxo foram apreendidos. No RS essa facção conta com 45 operadores, comandados por um detento na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc).

De acordo com a investigação, o grupo comprou dois imóveis, um prédio com vários apartamentos e outro onde funcionou uma boate em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos, além de usar veículos de luxo. No total, 22 foram apreendidos nesta terça-feira, incluindo uma Mercedes avaliada em R$ 400 mil. Também foram localizados R$ 120 mil em vários locais onde houve buscas.