Os pais de Erick Boeira Pena, ouviram dos médicos que o menino de um ano e oito meses de idade teria apenas 2% de chances de vida. Ele foi baleado na cabeça na noite de 21 de agosto, em Passo Fundo, quando estava no banco de traseiro do carro da família, no colo da mãe.

Foi uma bala perdida que entrou do lado direito da cabeça, atrás do ouvido, e se alojou no meio do cérebro, do lado esquerdo.

Três semanas após o acontecimento, o menino apresenta recuperação que surpreende a equipe médica, e permanece internado no Hospital São Vicente de Paulo. Desde a última quarta-feira, dia 9, o menino passou a se alimentar com papinha. E chama o irmão de quatro anos que não vê desde o dia 21. “Foi um milagre”, comemora a família.

Erick está com déficit de força no braço esquerdo, mas a perna está com movimento adequado. No lado direito, há um pequeno tremor nos membros devido a lesões causadas pela cápsula.

Há possibilidade de que o menino tenha sequelas motoras, mas o médico ressalta que crianças têm maior plasticidade cerebral, adaptam-se e em alguns casos podem ter evolução do quadro surpreendente.

Erick faz fisioterapia respiratória, para evitar processos infecciosos, e nos membros, para impedir déficit motor e alteração na circulação sanguínea. Ele ainda não tem previsão de alta.

“É surpreendente”, diz médico

Em entrevista ao GZH, o neurologista Adroaldo Baseggio Mallmann considera a recuperação surpreendente. “Pensávamos que ia evoluir para morte cerebral”.

Autor dos disparos está preso

Cinco dias depois do crime, um homem de 31 anos, que não teve o nome divulgado, apresentou-se à polícia e admitiu que realizou três disparos na noite do dia 21 de agosto.

Ele está preso no Presídio de Passo Fundo, e foi indiciado por tentativa de homicídio e porte ilegal de arma. A polícia investiga o real motivo dos disparos.

Leia mais