De acordo com a controladoria, os trabalhadores deixaram de cumprir critérios

O governo bloqueou, em agosto, o pagamento do auxílio emergencial a 922.600 beneficiários do Bolsa Família que recebem o auxílio emergencial. De acordo com o Ministério da Cidadania, a Controladoria-Geral da União (CGU) recomendou o cancelamento de 613.190 benefícios e a suspensão de 309.503, após identificar indícios de que os trabalhadores deixaram de cumprir os critérios de recebimento do benefício de R$ 600.

O governo deixa de gastar pelo menos R$ 550 milhões. Segundo o Ministério da Cidadania, as liberações serão retomadas a partir deste mês. A promessa do governo é adicionar ao pagamento de setembro (já de R$ 300) o valor que ficou bloqueado em agosto (R$ 600) para quem foi afetado pela revisão do auxílio.

De acordo com o ministério, é possível contestar o cancelamento ou a suspensão do auxílio emergencial pelos site ou pelo aplicativo da Caixa ou pelo site da Dataprev.

Após a reanálise dos dados, caso a contestação seja aprovada, o auxílio emergencial será concedido e liberado ao responsável familiar a partir da folha de pagamentos subsequente, e será pago de acordo com o calendário do Bolsa Família.

Pagamentos do Bolsa Família

Quem está inscrito no programa social receberá um novo pagamento entre os dias 17 e 30 de setembro, conforme o dígito final do Número de Identificação Social (NIS):

  • 17 de setembro – NIS de final 1
  • 18 de setembro – NIS de final 2
  • 21 de setembro – NIS de final 3
  • 22 de setembro – NIS de final 4
  • 23 de setembro – NIS de final 5
  • 24 de setembro – NIS de final 6
  • 25 de setembro – NIS de final 7
  • 28 de setembro – NIS de final 8
  • 29 de setembro – NIS de final 9
  • 30 de setembro – NIS de final 0