Após manifestação, caso seguirá para o Ministério Público e retornar ao Foro de Porto Alegre para decisão sobre a possibilidade de aulas presenciais

A juíza Cristina Luiza Marquesan da Silva, da 1ª Vara da Fazenda Pública do Foro Central de Porto Alegre, deu cinco dias, a contar desta segunda-feira, 29, para que Associação Mães e Pais pela Democracia e o CPERS/Sindicato se manifestem no pedido de revogação da liminar que fechou as escolas.

A manifestação é necessária para que que após a Justiça encaminhe para que o Ministério Público verifique a ação, para então decidir se aceita ou não o pedido do Estado para reabertura das escolas, permitindo as aulas presenciais de alunos da educação infantil e dos primeiros e segundos anos, mesmo em bandeira preta.