fbpx

RS é o terceiro maior produtor e exportador de carne de frango


Por Redação Publicado 17/09/2021

Apesar dos custos em alta, produtores fazem novos investimentos para ampliar plantéis e oferta de matéria-prima

Vale do Taquari – Marcio Luiz Favaretto, de Linha Pinheirinho, interior de Canudos do Vale, é avicultor faz mais de 40 anos. Começou com um aviário pequeno onde alojava 7 mil aves em Sério. Atualmente morando em Pinheirinho, possui um empreendimento com capacidade de alojar 35 mil frangos.

Com os auxílios oferecidos pela Secretaria Municipal da Agricultura e de Obras, decidiu construir um novo aviário no modelo Dark House, onde alojará mais de 50 mil animais por lote. “Tudo é controlado em um painel: água, luz, temperatura e alimentação”, explica. Por ave, recebe uma média de R$ 0,80. As máquinas trabalham para finalizar a terraplenagem e o acesso.

“O custo aumentou bastante em função da alta no milho, mas o negócio ainda é rentável, pois o consumo se elevou com a alta no preço da carne bovina.”

Favaretto vai aplicar R$1,5 milhão e terá prazo de nove anos para quitar o montante, com juros de 7% ao ano. Além do aviário, ainda instalará uma usina de energia solar, onde pretende produzir toda energia elétrica necessária para a propriedade.

“O valor de R$4 mil a ser gasto com tarifa de energia elétrica por mês, será investido no pagamento das prestações. Em breve não terei mais custos e poderei aplicar este dinheiro em outras demandas.”

Presente em 150 países

O desenvolvimento da atividade avícola coloca o Estado como  terceiro maior produtor e exportador de carne de frango do Brasil, com presença ativa em 250 municípios gaúchos.

O destaque também está na produção de ovos,  categoria que posiciona o RS como o quinto maior produtor e segundo maior exportador do Brasil. A produção de aves para escala comercial gera em torno de 40 mil empregos diretos e cerca de 500 mil funções indiretas. 

O presidente executivo da Asgav, José Eduardo dos Santos, disse que é uma vitória para todo o setor  gaúcho levar  carne de frango para mais de 150 países, sempre de  acordo com as normas estabelecidas, tanto no padrão de qualidade como dentro das exigências sustentáveis.

“Nosso foco é produzir alimento para o  mundo em harmonia com as condições de sustentabilidade social e  ambiental”, reforça. 

Santos reitera que a entidade está atenta aos protocolos nacionais e internacionais que preconizam o respeito ao uso dos recursos naturais, seguindo os preceitos de sustentabilidade e buscando adequação às mudanças que estão ocorrendo nos sistemas de criação das aves.

“Somos uma entidade aberta às alterações que estão surgindo para agregar melhorias em todo o ecossistema produtivo e estamos nos adaptando à medida que inovações vão se consolidando”, enfatiza. 

Preocupação com a sanidade

O presidente do Conselho Diretivo da Asgav, Nestor Freiberger, ressalta a geração de postos de trabalho e a produção em larga escala de carne de frango, de ovos e de produtos elaborados.

Além disso, assinala o compromisso da área com a biosseguridade e com o status sanitário, condição que ele considera como o “maior patrimônio”. As práticas de sustentabilidade social e econômica seguem na mira do setor, que continua otimizando e modernizando as práticas do setor.

O presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin, enfatiza que o Brasil é o primeiro exportador do mundo, seguido dos Estados Unidos e União Europeia, e o terceiro maior produtor mundial. “Em 20 anos, o setor somou US$113 bilhões em receita, uma conquista que evidencia a potência da avicultura brasileira”, menciona.

Para saber

O Vale do Taquari concentra 22% dos abates no RS. Já a região da Serra Gaúcha está em primeiro lugar com 27% e em terceiro lugar está a região Norte com 16%. Em 2020 foram abatidas 824,5 milhões, segundo dados da Asgav.

Foto Giovane Weber/FW Comunicação

Quer receber as principais notícias do Agora No Vale no seu WhatsApp?
Clique aqui e faça parte do nosso grupo!