fbpx

Produtividade de tabaco registra elevação de 20%


Por Redação Publicado 08/09/2021

A produção sul-brasileira chegou a 628.489 toneladas. Preço médio no RS aumentou 21,7%. Tendência é de redução da área no próximo ciclo

Os números foram finalizados pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e são obtidos por meio de pesquisas realizadas durante a safra junto aos produtores de tabaco. A variedade Virgínia chegou a 572.732 toneladas; o Burley, 49.260; e o Galpão Comum, 6.497 toneladas. A produção sul-brasileira de tabaco da safra 2020/2021 chegou a 628.489 toneladas no total.

O presidente da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), Benício Albano Werner, faz uma análise comparativa entre as safras 2019/2020 e 2020/2021. Levando em consideração o Sul do Brasil, em termos de área, houve uma redução de 5,9%, ou seja, 290.397 ha na 2019/2020 para 273.317 ha. Já a produção caiu 0,7%.

Numa análise por estado, o Rio Grande do Sul aumentou a produção em 16,5%. Embora a área tenha caído 2,9%, tivemos um aumento de produtividade de 20%, ou seja, produzimos 243.414 toneladas em 2019/2020 e aumentamos para 283.479 toneladas, dando uma participação de 45,1% na produção do Sul do Brasil.

A grande diferença no Rio Grande do Sul ocorreu na produtividade, que, em 2019/2020 foi de somente 1.919 kg/ha, uma consequência do excesso de chuva causado no desenvolvimento da planta nos meses de outubro e novembro de 2019. Na safra que está terminando, a produtividade chegou a 2.302 kg/ha.

Preço aumenta

O preço médio praticado, no Sul do Brasil, na safra 2019/2020 foi de R$ 8,86 por quilo e o praticado em 2020/2021 foi de R$ 10,54, um aumento de 19%.

No Rio Grande do Sul, o preço médio da safra passada foi de R$ 8,73 o quilo e na safra 20/21 de R$ 10,62, um aumento de 21,7%.

Werner destaca que os percentuais de aumento no Rio Grande do Sul e no Paraná foram superiores aos de Santa Catarina. “Isso se deve pelos preços mais baixos praticados na safra 2019/2020 nestes dois estados. Também não queremos afirmar que os preços praticados na safra 20/21 foram favoráveis ao produtor, uma vez que tivemos muita insatisfação dos produtores pela rigidez na compra até meados de maio deste ano.”

Receita

Já a receita bruta do tabaco, no Sul do Brasil, em 2019/2020 foi de R$ 5.609.341.172,00 e em 20/21, R$ 6.623.443.354,00. Foi registrado um aumento de R$ 1.014.102.192,00.

Mesmo com a redução de área plantada, de 5,9%, a receita do produtor foi de 18,1% a mais. Neste total, em 20/21, o Rio Grande do Sul participou com R$ 3.011.551.073,00, o que representa 45,5% do Sul do Brasil, detalha.

A estimativa de produção para a safra 2021/2022 será finalizada no fim do mês de outubro. Porém, já se projeta uma queda, na área, em média, no Sul do Brasil, de 10%.

Preços praticados (Arroba – 15kg)

  • BO1 – R$ 198,75
  • BO2 – R$ 176,70
  • TO1 – R$ 188,85
  • TO2 – R$ 164,25
  • CO1 – R$ 190,65
  • CO2 – R$ 162,90
  • XO1 – R$ 167,70
  • XO2 – R$ 136,50

Fonte – Afubra  

Fotos Giovane Weber/FW Comunicação