fbpx

Família de Arroio do Meio inaugura agroindústria de aipim e geleias


Por Redação Publicado 01/11/2021

Produtos serão produzidos de acordo com as normas sanitárias vigentes e agregaram valor à matéria-prima

A família Petry, de Arroio do Meio, está em festa. Após muito trabalho e dedicação, com ajuda da Emater, conseguiram inaugurar, de forma oficial, a agroindústria familiar de aipim descascado e geleias Heimant Land (Terra Natal).

Administrada pelo casal Lucila e Ivo Petry, o empreendimento agora está legalizado nas áreas tributária, sanitária e ambiental, o empreendimento está apto a utilizar o Selo Sabor Gaúcho, do Programa Estadual de Agroindústria Familiar (Peaf) da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) do Governo do Estado.  

“Para nós essa é uma conquista que nos permite sair da informalidade”, resumiu Lucila. Especialmente no que diz respeito às exigências sanitárias, a formalização facilita inclusive o acesso a outras políticas públicas, caso do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) do Governo Federal, além de permitir alcançar outros públicos, outros mercados. 

Vender qualidade e saúde

Com uma longa trajetória de comercialização de produtos, atualmente Lucila e Ivo levam hortaliças, frutas e leguminosas para feiras semanais em Lajeado e Arroio do Meio, o passo rumo à legalização da agroindústria pareceu natural para o casal.

Lucila faz questão de destacar que o objetivo não é o de vender “grandes quantidades”. “Sobre as geleias, a ideia é pegar a fruta da época para produzir alguns vidros que possam ser entregues diretamente para o consumidor”, destacou, lembrando que todos os cultivos, incluindo, claro, o aipim, são oriundos das hortas da família. 

No mix de produtos de Lucila estarão geleias de goiaba, uva, pêra, banana e figo. “Outras frutas, como butiá e maracujá também poderão ser processadas”, confidencia Ivo, que lembra que toda a produção é livre de agrotóxicos, com certificação orgânica.

Filho aposta em ovos

A agroindústria se soma a outro empreendimento mantido pela família, no caso da Agroindústria de Ovos Petry, que é mantida por Ivanor, filho do casal. Os projetos foram todos realizados com apoio da Emater com recursos próprios e linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). 

Nesse sentido, o extensionista da Emater Alano Tonin destaca o papel da Instituição na hora de levar políticas públicas para dentro da propriedade rural, o que desburocratiza processos e permite oferta de produtos coloniais, de qualidade, diretamente ao consumidor. “E tudo de forma legalizada, com renda, de forma sustentável”, avalia.

Segundo o supervisor da Emater Álvaro Mallmann, o diferencial está na agregação de valorà matéria-prima para conquistar novos mercados. “Mesmo no caso dos empreendimentos pequenos”, afirma.

Fotos Divulgação

PATROCÍNIO AGRO NO AGORA