Marcelo Caumo, reeleito, fala sobre os desafios dos próximos quatro anos

“O segundo mandato sempre exige mais do prefeito”, inicia a entrevista o prefeito Marcelo Caumo (PP), reeleito no último domingo para chefiar o Executivo de Lajeado por mais quatro anos. Ele ingressou na política em 2001, quando começou a trabalhar na Prefeitura de Lajeado como assessor jurídico do “então prefeito e grande inspiração, Cláudio Pedro Schumacher”, como se refere. Depois, foi procurador-geral do município até 2012, e em seguida assessor jurídico para municípios da região na área do Direito Público. Caumo retornou para a prefeitura em 2017, desta vez como prefeito. Ele concedeu entrevista ao Agora no Vale. Confira:

Entrevista

Agora no Vale – De que forma o próximo mandato vai se diferenciar do atual?

Marcelo Caumo – O segundo mandato sempre exige mais do prefeito. No primeiro, é tempo de organizar a casa, elaborar projetos e tirar do papel. Tivemos a oportunidade de criar e encontrar o nosso jeito de fazer as coisas, que é sempre com muito diálogo, com parceria da comunidade, com transparência e também com muita austeridade ao lidar com o recurso dos pagadores de impostos. Agora, com a aprovação que tivemos nas urnas, nosso projeto passa a ser mais acompanhado pela comunidade e mais exigido. Acreditamos que teremos muitas entregas importantes, como a consolidação dos projetos de longo prazo Pro_Move Lajeado, focado em fazer de Lajeado um polo de inovação no Estado, e o Pacto Lajeado Pela Paz, que atua para fazer da cidade um local que cultiva uma cultura de paz.

Agora no Vale – Eleja um setor que será a prioridade para o próximo mandato e fale o que fará por ele.

Marcelo Caumo – Uma prefeitura não tem como ter uma única prioridade. Mas é inevitável elegermos alguns setores chave. Temos que atuar ao mesmo tempo em diferentes frentes porque há demandas em vários setores. Mas, de forma objetiva, diria que nossas prioridades são a saúde, que tem a maior fatia do orçamento e será muito demandada em razão da pandemia, e a educação, porque é a base para o desenvolvimento da sociedade. Por fim, também temos as obras de infraestrutura e o constante planejamento urbanístico e de mobilidade urbana, tão necessários para manter a cidade funcionando e crescendo para atender as novas demandas.

Agora no Vale – Como você recebeu o resultado das eleições, e como interpreta a mensagem depositada pelos eleitores neste pleito?

Marcelo Caumo – Acredito que esta grande aprovação da nossa administração e a votação histórica que tivemos em Lajeado indica que a nossa comunidade gostou do nosso jeito de governar, sempre com muito diálogo e prezando a transparência acima de tudo, em que mostramos que, agindo com responsabilidade, é possível economizar e fazer realizações relevantes, como as diversas obras que entregamos. E, também, a comunidade apontou que quer líderes que enfrentem e resolvam na prática os problemas, mesmo os mais difíceis, como aconteceu neste ano de pandemia e com a maior enchente em 64 anos. Este trabalho diário, de fazer o melhor pela nossa cidade, foi aprovado pela comunidade, que viu a gestão de um jeito positivo e resultou em quase 30 mil votos de confiança nas urnas.

Agora no Vale – Quais são os maiores desafios do governo para os próximos anos, e como superá-los?

Marcelo Caumo – Temos grandes desafios pela frente. O primeiro é enfrentar os problemas decorrentes da pandemia, que reduziram nossa expectativa de orçamento e deverão exigir ampliação do atendimento nas áreas de saúde, acesso à educação pública e assistência social. Mas acreditamos que, com responsabilidade e cuidado no uso de recursos, conseguiremos passar por esta fase. Temos também que seguir trabalhando para atender as crianças nas creches, ampliando ainda mais a oferta de vagas. Por fim, precisamos sempre olhar além, para o futuro não tão próximo, buscando plantar a semente para fazer de nossa cidade uma referência em inovação, porque isso é que trará resultados no futuro em termos de emprego, renda e, consequentemente, desenvolvimento econômico e social.

Agora no Vale – Cite algumas obras e investimentos que você considera fundamental para o município e até quando será possível realizá-los?

Marcelo Caumo – Temos duas novas escolas de educação infantil em construção, que deverão estar concluídas até o final de 2021, podendo iniciar o atendimento já em 2022. Isso significa 400 novas vagas que estão por vir. Vamos ver o Pacto Lajeado Pela Paz tomar ainda mais forma por meio das atividades socioemocionais em todas as escolas de Lajeado, que já estão em andamento e serão reforçadas no novo ano letivo. E daremos início a um projeto de contingenciamento para as cheias do Taquari, algo que precisa ser realizado em conjunto com outros municípios da região e que deverá ser iniciado já com conversas com os próximos governantes municipais no início do próximo ano. Além disso, temos as ações do Pro_Move e a criação da AGIL, a Agência de Desenvolvimento de Lajeado, que criará novas oportunidades em termos econômicos.