Ação de fiscalização ocorre no feriado de Carnaval, junto às praias do Litoral Norte gaúcho

A Brigada Militar intensificou as ações de fiscalização durante o feriado de Carnaval. O Gabinete de Crise chamou atenção, quando da divulgação do mapa preliminar do modelo de Distanciamento Controlado na última sexta-feira, 12, para que os gaúchos sigam respeitando os protocolos, principalmente quanto à higienização constante das mãos, evitar aglomerações e o uso obrigatório de máscara em todas as bandeiras.

Uma vez que a situação do coronavírus segue demandando cuidados no Estado, as festas de Carnaval estão proibidas, por não atenderem aos protocolos mínimos de segurança sanitária. O rápido aumento na ocupação de leitos clínicos nesta semana, de 902 para 1.112, pode refletir na busca por leitos de UTI nos próximos dias. Por isso, o governo do Estado reforça a orientação para que a população mantenha todos os cuidados sanitários previstos nos protocolos.

Na segunda-feira, 15, o Comando Regional de Polícia Ostensiva do Litoral Norte (CRPO Litoral) da Brigada Militar divulgou o balanço parcial das ações realizadas entre 6h de quinta-feira e 6h desta segunda nos municípios localizados entre Torres a Tavares.

A Brigada Militar interveio em 74 casos de aglomerações, sendo a maioria em Capão da Canoa, com 41 registros. Boa parte deles ocorreu no domingo, 14. No município, as aglomerações aconteceram no final da tarde, durante a movimentação de pessoas que passaram o dia na praia e se retiravam da areia de volta para suas casas, à noite, com o agrupamento de famílias em alguns pontos, e a partir da 1h de segunda-feira, com jovens nas ruas.

O Disque Denúncia 150 recebeu seis denúncias de aglomeração, sendo quatro confirmadas. Outras 21 foram recebidas pelo 190 da BM, que confirmou 14. O número de atendimentos para situações de perturbação do sossego público foi de 49, com apreensão de equipamentos de som e produção de termos circunstanciados.

O comandante do CRPO Litoral, coronel Marcel Vieira Nery, destaca que, nas aglomerações, a BM vem atuando de forma preventiva, com o trabalho dos agentes de Inteligência, e com o emprego da tropa para dissuadir os grandes grupos, quando necessário, de forma técnica a evitar confrontos.

Eventuais mobilizações de maior impacto ostensivo, com policiamento montado ou pelotões de Choque, exigem extrema cautela, em razão de as praias serem locais de área aberta, além de haver a presença de crianças e idosos, bem como de cidadãos alheios às aglomerações. Por isso, só são adotadas em último caso. Até o momento, as ações da BM têm sido exitosas em realizar as dispersões de aglomeração sem a ocorrência de confrontos.

Leia também:
BM DISPERSA 700 PESSOAS EM AGLOMERAÇÃO EM LAJEADO