fbpx

Ao clicar em "Continuar navegando", você concorda com o uso de Cookies e com a Política de privacidade do site.

  • Banner Agora no Vale 728x90px Programa Fazer Juntos

Desmistificando a Resiliência: Impactos psicológicos invisíveis do bullying


Por Redação / Agora no Vale Publicado 27/02/2024
 Tempo de leitura estimado: 00:00
  • Agora-No-Vale—Banner-Forquetinha—Institucional-WhatsappDESKTOP
WhatsApp Image 2024-02-26 at 23.03.53

Em um cenário que enaltece a resiliência, muitos afirmam corajosamente que o bullying não deixou marcas. No entanto, por trás dessa máscara de fortaleza, escondem-se frequentemente impactos psicológicos duradouros.

Essas cicatrizes imperceptíveis podem se revelar de diversas maneiras, minando silenciosamente a saúde mental daqueles que as carregam.

É comum ouvir relatos de vítimas de bullying que, aparentemente, ignoram seus impactos psicológicos:

“Sempre me considerei resiliente, imune às palavras cruéis e brincadeiras maliciosas.”
“O bullying nunca abalou minha confiança.”
“Hoje em dia, tudo é rotulado como bullying; antigamente, não éramos afetados por qualquer coisa.”

Contudo, ao se explorar a autoestima, relacionamentos e bem-estar mental, emergem resultados reveladores:

  • Baixa autoestima : A resistência pode mascarar uma autoimagem negativa, afetando a confiança.
  • Ansiedade e depressão: Mesmo os aparentemente inabaláveis podem sofrer consequências psicológicas profundas.
  • Dificuldades nas relações sociais: O medo do julgamento pode impedir o desenvolvimento de conexões saudáveis. Fique atento para os sinais de que seu filho pode estar sofrendo com bullying:
  • Mudanças de comportamento: Alterações como isolamento e agressividade podem indicar sofrimento silencioso.
  • Desempenho acadêmico: Quedas no rendimento escolar podem ser reflexos de conflitos emocionais.
  • Expressões emocionais: Sinais de tristeza,
    raiva ou ansiedade devem ser investigados atentamente.

Algumas medidas podem auxiliar para a prevenção do bullying:

  • Educação sobre bullying: Conscientização em escolas e comunidades é crucial para prevenir o problema.
  • Intervenção imediata : Escolas devem agir prontamente, garantindo ambientes seguros e acolhedores.
  • Apoio psicológico: Profissionais de saúde mental desempenham papel vital no tratamento, oferecendo suporte emocional necessário.

Reconhecer os impactos do bullying vai além da superfície da resiliência aparente. A prevenção e o tratamento exigem esforços coletivos, visando criar comunidades mais inclusivas e empáticas, onde as cicatrizes invisíveis possam ser curadas.

por Maria Júlia Lohmann Wagner
Psicóloga
Especialista em terapia cognitivo-comportamental e terapia do esquema
Instagram: @maju.psi

maju-psicologa